Dicas para prosperar a versão da escrita

[…] uma compreensão sátira do ato de ler, que não se esgota na decodificação pura da vocábulo escrita ou da linguagem escrita, porém que se antecipa se alonga na perceptibilidade do planeta. A análise do planeta precede a obra da vocábulo, daí que a ulterior interpretação desta não tenha como prescindir da ininterrupção da análise daquele. Linguagem verdade se prendem dinamicamente. A compreensão do artigo a ser alcançada por sua análise sátira implica a percepção das relações entre o artigo o contexto. […] |1|

É provável notar na fala do educador Paulo Freire que a versão textual está de forma direta relacionada com nossa conhecimento leitora. Isso deseja expor que interpretar exige uma série de conhecimentos com o propósito de possamos assimilar sentidos subentendidos, fazer previsões sobre esses sentidos perceber informações prévias implícitas em comparação com escrito lido. Desta forma, o ato de ler interpretar requer um conjunto de conhecimentos, entre eles: conhecimentos prévios sobre o objetivo, conhecimento de planeta, conhecimentos linguísticos a habilidade reflexiva do lente.

Existem várias dicas que podem ajudá-lo no aperfeiçoamento da sua habilidade de tradução textual. Vamos abordar várias delas próximo.

→ Interpretação prévia

A obra prévia deve ser feita de antemão do contato com o escrito propriamente dito. Varias vezes, ao iniciarmos a interpretação de um escrito, desprezamos pequeno número de aspectos essenciais que já podem informar-nos bastante sobre os possíveis conteúdos que serão tratados no escrito, como:

A apresentação: a capote de um livro, muito elaborada, diga bastante sobre a obra, porém a máxima “não julgue o livro pela cobertura” também é essencial, uma vez que ela sozinha não é capaz de expressar-nos bastante sobre o matéria. Nada obstante, amiúde, escolhemos nossa interpretação pelo efeito que a cobertura, o título, a imagem marcas tipográficas fomentam em nós, não é mesmo? Por consequência, observar esses particularidades, de antemão mesmo da obra do escrito, é essencial, porque referem-se a recursos linguísticos capazes de ativar nossos conhecimentos prévios conhecimento de planeta, necessários para a versão do artigo em si.

Gênero textual: a reparo do gênero textual deixa-nos identificar possíveis objetivos do responsável, isto é, se estivermos diante do gênero receita, a pretensão do responsável será a de ensinar como preparar determinado classe de maná; se o gênero for um post, a pretensão será a apresentação de pesquisa reflexões do responsável sobre um objecto.

Data: esse oferecido é bastante essencial, porque nos remete ao contexto histórico do instante da escrita do artigo. Cá, somos instigados a ligar-se nossa memória sobre fatos, pessoas períodos que podem ter inspirado o pensamento do responsável criava o artigo.

– O responsável: descobrir quem é o responsável dá-nos a possibilidade de relacionar a obra atual com outras de sua autoria que possamos já ter tido contato , desta forma, ler quais possíveis temáticas serão abordadas.

Meio de informação: esse recurso deixa identificar que gênero de de público acessa esse escrito quais posicionamentos políticos, sociais, culturais, econômicos, religiosos, etc. são veiculados por esse meio de informação.

→ Análise seletiva

Trata-se de uma análise mas própria que possui como objetivo identificar o tema do artigo de modo por norma geral. Para a realização desse classe de análise, o ledor precisa ter seus objetivos já especificados, isto é, precisa ter lógico que é a finalidade da escolha do artigo a ser lido. Por conseguinte, por meio da obra seletiva, o lente poderá justificar se o escrito tem ou não as informações de que este necessita para atingir seus objetivos.

→ Interpretação analítica

Nesse instante, o ledor possui a possibilidade de estudar o artigo minunciosamente, porque essa temporada da interpretação deixa que este organize as ideologia, encontre palavras-chaves, faça esquemas, resumos encontre informações que são relevantes para o entendimento do que está escrito. Dessa maneira, é essencial acompanhar número reduzido de passos:

1 – Leia o escrito todo para ter uma percepção por norma geral do tema;

2 – Identifique as princípios centrais palavras-chaves de qualquer parágrafo;

3 – Esquematize o artigo elabore uma associação dele;

4 – Organize as suas próprias convicções em comparação com tema, esquematizando-as resumindo-as. Esse recurso tem peculiaridades individuais as quais se relacionam aos conhecimentos prévios que qualquer ledor tem sobre o matéria;

5 – Relacione as princípios essenciais do artigo com seus conhecimentos sobre o objecto;

6 – Elabore hipóteses que possam explicar os argumentos, fatos outros dados presentes no artigo.

Veja que a obra analítica deixa um diálogo entre os conhecimentos propostos pelo responsável os conhecimentos do próprio lente, o que possibilita também um aprofundamento das interpretações textuais. Cá, já é provável ler sobre os sentidos que o escrito carrega, utilizando-se de pistas presentes nele. Essas inferências deverão ser comprovadas ou não mas tardiamente, durante o processo interpretativo.

→ Interpretação interpretativa

De posse de seus conhecimentos dos conhecimentos apresentados explicitamente no artigo, é hora de ler nas entrelinhas. Para isso, é preciso identificar informações que vão além dos limites da escrita, ou melhor, é preciso identificar os pressupostos, as princípios subentendidas (porém que sejam conhecidas pelo lente) as relações intertextuais, desta forma, as relações estabelecidas com outros textos.

Diante dessas fases da análise, é notório que o contato com o escrito, tendo como objetivo a sua versão, requer do ledor uma participação intelectual ativa, a que exige também práticas constantes que possam moderar diferentes gêneros textuais, de diferentes autores, sobre diferentes assuntos com diferentes reflexões, possibilitando-o uma visão mas questionadora sobre do objeto de estudo.

Bons estudos boas interpretações!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *